Date: 28 Ago 2017

A sessão de sexta-feira passada prometia ser interessante e importante, devido às expectativas que os investidores colocaram no discurso de Janet Yellen e de Mario Draghi, na conferência de banqueiros centrais realizada em Jackson Hole. E o dia até começou de feição para os Bulls, com as declarações de Gary Cohn, o conselheiro Económico chefe de Trump, que indicou esta semana como o timing para que o Presidente norte-americano comece a fazer campanha junto dos membros do Congresso, para a aprovação da reforma fiscal prometida aquando das eleições. Cohn espera igualmente que a mesma seja aprovada este ano e indicou nunca ter pensado demitir-se aquando da polémica originada por Trump sobre Charlottesville, algo que o mercado na altura receou que ocorre-se, devido ao abandono de diversos CEO´s importantes do conselho económico do presidente.

Contudo o optimismo dos investidores foi bastante cauteloso, devido talvez aos sucessivos adiamentos para a aprovação da lei, tanto que rapidamente Wall Street perdeu o fulgor inicial e ainda antes da hora de almoço já os ganhos eram marginais ou o índice estava mesmo no vermelho, como ocorreu com o Nasdaq. Já no que respeita ao que foi dito em Jackson Hole pelos representantes dos dois principais bancos centrais o mercado teve bastante mais a dizer, nomeadamente no Forex, visto que Yellen ao não se referir sobre a politica monetária, afastou o pior cenário, que seria o que um discurso hawkish. Mas se Wall Street passou incólume, já o U.S dólar foi afectado negativamente uma vez que parte do mercado estava preparado para uma posição mais pró-subida dos juros. Mario Draghi segui o caminho da sua congénere norte-americana e também não abordou o tópico da politica monetária, o que foi bom para a moeda única, uma vez que não colocou reticências à força que a mesma tem registado recentemente. No final do dia, o U.S dólar recuou 0,7% contra um cabaz de outras moedas, permitindo ao Euro uma subida robusta de 1,1% para os $1.1923, o que é o maior valor de dois anos e meio.
O gráfico de hoje é do EUR/USD, o time-frame é Semanal

O principal par de moedas está agora muito próximo dos níveis de indiquei há umas semanas como provável target para o movimento ascendente e igualmente uma zona de provável resistência técnica (linhas verde e azul)

Marco Silva