Date: 09 Abr 2019

Apesar de algumas nuances na consistência do movimento e certamente com menor pendor bullish, os índices norte-americanos registaram segunda-feira uma sessão muito similar à da última sexta-feira. Ao invés de um dia sempre no positivo Wall Street esteve antes quase sempre no vermelho, contudo uma tendência ascendente quase ininterrupta iniciada após os primeiros 15 minutos do dia, levou o mercado para ganhos residuais no S&P500 e Nasdaq, sendo que o Dow Jones foi pelo segundo dia consecutivo o mais fraco, desta feita devido à queda dos títulos da Boeing, que recuaram -4,4%, a sofrerem ainda das consequências dos incidentes ocorridos com dois dos seus aparelhos 737 MAX que levou à suspensão dos voos dessas aeronaves e a um refrear na produção de novas unidades, que poderá perdurar por seis a nove meses, precipitando o Bank of America Merrill Lynch a cortar o rating dos títulos da maior fabricante de aviões de compra para neutral.

Resumindo, o mercado accionista vagueou por ventos de acontecimentos singulares, não deixando no entanto de ser notório que os investidores se recusaram para já a levar os índices para qualquer um dos lados, sem que a earnings season ofereça um catalisador para uma tendência definida. A incerteza sobre o desfecho das negociações para o fim do conflito comercial entre EUA e China mantém-se, bem como o caos no processo do Brexit com uma reunião programada para quarta-feira entre Theresa May e os restantes lideres europeus, com vista a um entendimento quanto ao prazo de extensão para o Brexit, isto depois de ontem ter sido aprovado tanto pela câmara dos comuns, como pela dos Lordes do Parlamento do Reino Unido, legislação com vista a evitar um Brexit sem acordo, obrigando igualmente a primeira ministra a procurar aprovação sobre o tempo acordado com Bruxelas.

Ao nível económico os dados que saíram nos EUA foram dentro do esperado enquanto que na Europa os números do comércio na Alemanha desiludiram com uma contracção acima do antecipado, tanto nas exportações, como nas importações, o que justificou em parte o pessimismo extra presente nas bolsas europeias, com maior incidência no Dax30 que recuou -0,39%. Apesar disso no Forex a moeda única conseguiu valorizar 0,4% contra o U.S dólar para os $1.126, um pouco mais que os 0,2% de subida alcançados pelos Libra inglesa que terminou a valer $1.306. Destaque para mais uma valorização do WTI crude, que ontem adicionou 2% atingindo assim um máximo de 5 meses nos $64.36 por barril.

O gráfico de hoje é do NOS, o time-frame é Diário

Os títulos da empresa de telecomunicações nacional quebraram o canal ascendente (Azul) em que se encontravam, pelo que é possível um teste dessa mesma quebra para breve

Marco Silva