Date: 21 Mar 2018

Depois de uma queda acentuada os investidores optaram por ficar nas linhas laterais no primeiro dia da reunião do FED, o volume cerca de 15% abaixo do normal assim o indicia ficando o sentimento por conta da subida do preço do Crude, que beneficiou da antecipação da concertação dos principais membros da OPEP no sentido de reduzirem a produção e assim combater o excesso de oferta existente no mercado, decisão que impulsionou o sector energético, suportando assim a maior valorização do dia no S&P500 com 0,84% de acréscimo, do lado oposto estiveram as telecoms e as utilities, sectores que são mais sensíveis à subida das taxas de juro, um movimento que a grande maioria dos analistas espera que ocorra hoje, naquela que será a primeira reunião presidida por Jerome Powell.

As tecnológicas terminaram com ligeiras valorizações, tanto no S&P500 como no índice Nasdaq, não obstante a queda nos títulos do Facebook, ainda a sofrer os efeitos negativos do escândalo da utilização de informação de 50 milhões de utilizadores norte-americanos por parte da campanha de Trump. A subida dos títulos da Amazon compensaram a pressão negativa que adveio do dia anterior, tornando o gigante do retalho online na segunda empresa mais valiosa em Wall Street, logo a seguir à Apple e suplantando provisoriamente a Google por cerca de $6 biliões, um pouco mais atrás segue a Microsoft, igualmente na casa dos $700 biliões de capitalização.

Destaque para o final da reunião do G-20, ontem em Buenos Aires, onde os principais ministros das finanças não chegaram a bom porto no sentido de impedir Trump de levar avante as suas intenções de proteccionismo. No Forex o U.S dólar adicionou 0,4% contra um cabaz de outras moedas principais o que levou o Euro para a maior queda dos últimos dias ao ceder -0.7% para os $1.2250. A libra inglesa também recuou ligeiramente, -0.2% para os $1.40 a consolidar dos ganhos recentes e antes da reunião de Quinta-feira do BOE, de onde não deverão sair novidades quanto à taxa de juro ou programa de estímulos.

O gráfico de hoje é do Light Crude, o time-frame é Semanal

Hoje destaque para o gráfico do WTI, onde como se pode ver existe um espaço de amplitude substancial onde o preço pode vir a atravessar sem grandes obstáculos na subida, visto não os ter tido igualmente na queda, nomeadamente até aos $90 por barril, um movimento que a ocorrer poderá advir de eventos geopolíticos, visto que para já os fundamentais não antecipam tal cenário.

Marco Silva