Análises de Mercado

Vacina da tranquilidade safa Wall Street na reta da meta

A história da sessão de quinta-feira em Wall Street estava destinada a não ter grande história, seria um dia no vermelho, como foi na sua quase totalidade, e onde o sentimento foi condicionado por receios sobre alastramento da epidemia do coronavírus em particular na China e no resto do mundo, bem como o seu impacto económico que poderá empurrar o crescimento da segunda maior economia do mundo para um patamar considerado insuficiente, pelo menos para manter o ritmo de consumo e de receitas esperado por boa parte das empresas que fornecem às empresas chinesas. No campo empresarial as notícias também não foram muito optimistas, antes uma mistura de sabores, com o Facebook a provocar uma hecatombe no sector tecnológico devido ao aumento de custo e diminuição do ritmo de crescimento, o que resultou numa queda superior a -6% nos seus títulos, relegando o optimismo gerado pelos resultados da Microsoft como insuficiente para impedir que o sector tivesse terminado no vermelho.

De realçar a subida de 10.3% nas acções da Tesla, com um trimestre rentável e um número recorde de carros vendidos, enquanto que no lado inverso do sentimento esteve a UPS que estimou menos lucros para o ano completo. E tudo indicava que a história se ficaria por aqui, contudo a declaração da Organização Mundial da Saúde sobre a epidemia do coronavirus alterou os planos dos Ursos, isto porque apesar de ter classificado como uma emergência global e um risco para a saúde dos cidadãos a nível mundial, referiu igualmente que não será necessário a restrição de movimento na China ao mesmo tempo que congratulou o esforço desenvolvido pelo país populoso do mundo, no sentido de conter o vírus, indicando mesmo que o ritmo de propagação tem sido a um ritmo sem procedentes, mas que a resposta tem sido igualmente a um ritmo inigualável no passado.

Ora, esta tranquilidade deixada pelo órgão máximo de saúde mundial abriu espaço a um optimismo de última hora que puxou os índices norte-americanos para fora da zona do vermelho, terminado assim Wall Street com ganhos muito ligeiros, onde se destacam as valorizações das financeiras e das retalhistas de produtos essenciais. Apesar da melhoria no final do dia o preço do crude não conseguiu melhor que um recuo de -0.7% para os $52.94 por barril, ainda assim bem melhor que os $51,66 atingidos no mínimo da sessão.

O gráfico de hoje é do Light Crude, o time-frame é de 4 horas

O preço do light crude poderá encontrar algum suporte de curto prazo no duplo fundo que está a ser formado (linha azul)

Marco Silva

A informação fornecida não constitui pesquisa de investimento. O material não foi preparado de acordo com os requisitos legais destinados a promover a independência da pesquisa de investimento e, como tal, deve ser considerado uma comunicação de marketing.

Todas as informações foram preparadas pela ActivTrades PLC (“AT”). As informações não contêm um registro dos preços da AT, nem uma oferta ou solicitação de uma transação em qualquer instrumento financeiro. Nenhuma representação ou garantia é dada quanto à exatidão ou integridade desta informação.

Qualquer material fornecido não tem em conta o objetivo de investimento específico e a situação financeira de qualquer pessoa que possa recebê-lo. O desempenho passado não é um indicador confiável de desempenho futuro. AT fornece um serviço somente de execução.

Consequentemente, qualquer pessoa que atue na informação fornecida o faz por sua conta e risco.