Date: 13 Jun 2017

Depois do susto de sexta-feira passada, com a súbita e abrupta queda do sector tecnológico, os investidores entraram nesta semana como um pouco mais de cautela, sendo que os mercados europeus estiveram a compensar pela desvalorização que não registaram no último dia da semana passada por já estarem encerrados. Assim e com excepção do Footsie, que esteve menos negativo, a generalidade das praças europeias recuaram cerca de 1%. Em Wall Street os ventos de venda continuaram predominantemente nas tecnológicas com um downgrade das acções da Apple pela Mizuho Securities. Recordo que ainda há poucos dias tinha referido que grande parte das valorizações registadas nos indices norte-americanos, cerca de um terço, se deviam a apenas cinco empresas do sector tecnológico o que era um sinal de cautela, em virtude de poder vir a indicar a formação de um topo, para além da pouca estabilidade que tal fornecia aos ganhos registados.

 

Ora, não é de estranhar que nestes últimos dois dias, que foram os piores desde Dezembro para o Nasdaq, os principais responsáveis pelo vermelho verificado foram as mesmas empresas, mais concretamente por cerca de 75% do recuo no índice tecnológico. O futuro de curto prazo dirá se este caso não passou apenas de um evento isolado ou foi o indicio de alguma disfuncionalidade no mercado, certo é que este Bull market está por estes dias numa fase de algum nervosismo, entre as valorizações algo ricas e uma economia que teima em não regressar ao crescimento mais robusto do ano passado. No Forex e depois das eleições francesas que aparentemente darão a Macron um governo estável, o Euro valorizou, ainda que de forma ligeira, +0,1% para os $1.1203. Ainda assim bem melhor sorte que a Libra inglesa que pelo segundo dia consecutivo sofreu os efeitos da perda da maioria por parte de Theresa May, e recuou 0,7% para os $1,2656, para um agregado de dois dias de -2,6%.

 

 

O gráfico de hoje é do EUR/USD, o time-frame é Diário

EURUSDDaily61317

O principal par de moedas poderá em breve validar um padrão de duplo topo (linhas verdes), que a ocorrer poderá fazer o preço testar a linha inferior do canal ascendente (azul)

 

Marco Silva