Date: 02 Mar 2018

Como se não bastasse o cepticismo provocado pela possibilidade de um movimento mais hawkish por parte do FED em 2018, os Bulls tiveram ontem que lidar com um novo, mas não inédito, problema, Trump. Na realidade já há vários meses que o presidente norte-americano não era uma força dominante para o movimento dos indices norte-americanos, mas ontem, num déjà vu do inicio de 2017, as indicações sobre a imposição de tarifas de 25% e de 10% sobre a importação de aço e alumínio, respectivamente, condicionaram o sentimento dos investidores. Isto porque faz renascer os receios de movimentos proteccionistas nas principais economias, tema que curiosamente ontem mesmo o Presidente do FED e outro membro do banco central fizeram questão de esclarecer, nomeadamente a importância de um mercado global e o mais livre possível, sem obstáculos tarifários a impedir a circulação normal dos bens e serviços. O presidente do FED de Nova Iorque, William Dudley, foi bem claro ao afirmar que “o proteccionismo não é a solução”.

O sector industrial foi o mais afectado pela pressão vendedora ao ceder -1.2% no S&P500, apesar dos ganhos nas empresas produtoras desses materiais, que não foram contudo suficientes para minorar de forma significativa o vermelho que se fez sentir em quase todos os outros grupos de actividade e que empurrou o principal índice para baixo da sua média móvel dos cem dias. Recordo que no retracement de Fevereiro foi a média móvel dos 200 dias que serviu de suporte ao S&P500. No Forex o U.S dólar inverteu o sentido das últimas sessões e recuou -0.3% contra um cabaz de outras moedas principais, permitindo ao Euro um ganho de 0,6% para os $1.2264.

A volatilidade no mercado accionista poderá continuar em alta caso exista feedback de outros países relativamente a retaliações contra as tarifas alfandegárias que Trump pretende impor.

O gráfico de hoje é do Ouro, o time-frame é Diário

Tal como referi na análise de 23 de Fevereiro, o Ouro tinha as linhas a azul como locais de suporte e resistência, e isso foi validado ontem quando o preço tocou na linha inferior e imediatamente efectuou um rebound técnico

Marco Silva