Date: 20 Jul 2018

Não tem sido uma earning season cativante, apesar dos resultados previstos serem excelentes tendo em conta a fase de maturação em que se encontra o ciclo económico, e não obstante Wall Street estar muito perto de máximos históricos, o certo é que os primeiros dias da época de resultados têm sido sem sentido bem definido, isto porque entre resultados pouco entusiasmantes de alguns pesos pesados e as preocupações com a actuação de Trump, os investidores não estão certamente confiantes como seria de esperar numa altura em que as melhorias nos lucros em relação ao ano passado aumentaram para os 21.5% para as empresas do S&P500. No geral todos os três principais índices terminaram no vermelho, o sector financeiro foi, tal como tem sido habitual nos últimos dias o que mais mexeu, desta feita para o lado negativo com um recuo de -1.44%, depois de Trump ter referido numa entrevista à CNBC que não concorda com a subida dos juros por parte do FED, o que não obstante a pouca convicção de que o presidente do FED se deixará condicionar, refreou a visão de um movimento continuado de tightening.

No campo económico das notícias foram agridoces, se por um lado o Federal Reserve’s Beige Book revelou uma preocupação de todos os distritos que o compõem sobre o impacto da guerra comercial, do lado positivo estiveram os pedidos de beneficio de desemprego, que caíram para mínimos de 48 anos e meio, reforçando a ideia de um mercado laboral robusto. Uma nuvem negra que pairou sobre o mercado foi o das negociações que irão ocorrer para a semana entre a U.E e os EUA sobre o comércio, com notícias de que a Europa está preparada para retaliar caso os EUA imponham tarifas alfandegárias sobre as importações de veículos fabricados na Europa. Talvez devido a esta preocupação o Russell 2000, menos sujeito aos efeitos nefastos de uma guerra comercial, tenha tido um comportamento positivo e bem oposto ao dos principais de Wall Street. No Forex o U.S dólar não potenciou os ganhos devido às declarações de Trump, contudo ainda encerrou a valorizar 0,3% contra um cabaz de outras moedas principais, numa sessão em que a libra inglesa voltou a ceder terreno, desta feita -0.5% para os $1.3007, após os dados sobre as vendas a retalho no Reino Unido terem revelado uma queda de -0.5% de Maio para Junho.

O gráfico de hoje é do índice do Russell 2000, o time-frame é Diário

O índice das small caps apesar de não ter efectuado um duplo topo, tem um máximo inferior ao anterior e um movimento bearish muito parecido ao que o DAX30 efectuou recentemente, neste caso a ocorrer neste activo levaria à quebra dos mínimos de Maio

Marco Silva