Análises de Mercado

Tecnológicas recuperam favoritismo mas incerteza continua

Depois de duas sessões de correcção acentuada nas grandes tecnológicas o sentimento melhorou quarta-feira, no sector das empresas que mais valorizaram na época pós COVID-19, com os principais pesos pesados do mercado a recuperarem praticamente todo o terreno que cederam um dia antes, respondendo parcialmente à pergunta que tinha formulado no comentário anterior, sobre até quando se iria fazer sentir esta reacção adversa à possibilidade de um regresso à normalidade, tendo em conta que infelizmente mesmo que tudo corra na perfeição esse caminho ainda está a uns largos meses de distância, dando espaço para que a disrupção económica iniciada em Março se solidifique, sendo hoje largamente consensual entre os analistas de mercado que o acelerar da transformação digital provocada pela pandemia não irá reverter, o que poderá causar mais séries de correcções relâmpago nestas empresas, à medida que os investidores vão percebendo qual o grau de alterações no comportamento dos consumidores que vieram para ficar.

Mas paralelamente a estas flutuações nos sectores o cenário global continua muito condicionado, seja pela questão da progressão da pandemia nas principais economias do mundo, com destaque para a Europa e EUA, mas igualmente com a novela das eleições norte-americanas e o comportamento errático de Trump, isto porque não só o ainda presidente dos EUA continua a negar a vitória de Joe Biden, como está a agir de forma contrária à normal transição de poder, substituindo membros de alguns cargos importantes na Casa Branca e Pentágono, ao mesmo tempo que os seus devotos seguidores na administração passam a ideia de que Trump continuará no cargo, tal como indicou o secretário de Estado, Michael Pompeo, quando afirmou que a transição de uma administração Trump para o seu segundo mandato será tranquila. Igualmente potencialmente perturbador é o facto de Joe Biden ainda não ter tido acesso aos fundos que por lei lhe devem ser disponibilizados para que possa compor a sua equipa e preparar o inicio do seu mandato, enquanto os membros da campanha de Trump continuam a pedir donativos para a litigância judicial.

Resumindo e não obstante algumas fases de rotação de capital, com maior ou menor visibilidade, o mercado não tem por agora muito mais visibilidade do que tinha há duas semanas, até porque em Janeiro deverá haver eleições para o Senado e aí é que está uma das principais incógnitas, conseguirão os Democratas apanhar a maioria do Senado e do congresso ou não. Daí que mais do que uma tendência definida, as próximas semanas poderão manter a volatilidade em alta, não descurando o facto de ser possível uma desilusão aquando da conclusão do ensaio clínico da Pfizer, projectado para este mês, o que seria certamente bastante negativo para o sentimento.

O gráfico de hoje é do LCRUDE, o time-frame é de 1 DIA

Apesar da valorização deste semana o panorama para o preço do WTI crude continua a ser de lateralização, sem grandes fundamentos para o activo sair desta baliza de preços, entre os $34 e 44$ por barril

Marco Silva

A informação fornecida não constitui pesquisa de investimento. O material não foi preparado de acordo com os requisitos legais destinados a promover a independência da pesquisa de investimento e, como tal, deve ser considerado uma comunicação de marketing.
Todas as informações foram preparadas pela ActivTrades PLC (“AT”). As informações não contêm um registro dos preços da AT, nem uma oferta ou solicitação de uma transação em qualquer instrumento financeiro. Nenhuma representação ou garantia é dada quanto à exatidão ou integridade desta informação.
Qualquer material fornecido não tem em conta o objetivo de investimento específico e a situação financeira de qualquer pessoa que possa recebê-lo. O desempenho passado não é um indicador confiável de desempenho futuro. AT fornece um serviço somente de execução.
Consequentemente, qualquer pessoa que atue na informação fornecida o faz por sua conta e risco.