Date: 28 Jun 2017

Depois da boa prestação da semana passada o sector tecnológico deu logo na segunda-feira indicações de fraqueza, com o índice tecnológico a reverter uma boa abertura para um fecho em baixa, e quiçá já em antecipação do que iria acontecer na terça-feira. Ontem o Nasdaq esteve claramente mais fraco que os restantes e afundou -1.61%, muito por culpa da multa recorde de $2,7 biliões imposta pela autoridade da concorrência da União Europeia em virtude da violação das regras comunitárias de concorrência. Mas não só, o adiamento da votação da lei da Saúde que tem sido negociada nos corredores do partido Republicano, atingiu igualmente de forma negativa o mercado, mais concretamente nas bio-tecnológicas.

E nem mesmo o recuou de 0,5% no valor do U.S dólar, que costuma ser benéfico para o sector accionista, teve qualquer efeito de abrandar a pressão vendedora. Já o Euro disparou 1,4% para os $1.1336, após Mario Draghi ter referido que não pretende retirar em breve as medidas de apoio à economia europeia, mas indicou também confiança de que a retoma evidenciada até agora se deverá consolidar nos próximos tempos, apesar de não ser ainda visível uma melhoria na componente dos salários, o que tem colocado um travão na inflação. Nas commodities destaque para a valorização de 2% do WTI para os $44.24 por barril, naquele que foi o quarto dia de rebound.

 

O gráfico de hoje é do Light Crude, o time-frame é de 1 hora

LCrudeAug17H1

Após ter testado a linha inferior do segundo canal a azul, nos pontos A e B, o activo encontrou nova resistência na linha superior desse mesmo canal (C), exemplo evidente da importância dos canais para negócios de curta duração, mesmo que aparentemente deixem de ser validos por serem quebrados nas suas linhas.

Marco Silva