Date: 14 Mai 2018

Sem grandes motivos de interesse, Wall Street terminou sexta-feira uma semana em que o comportamento foi francamente positivo, aliás a melhor para os Bulls dos últimos dois meses. Embalados pela ideia do regresso do período de Goldilocks os investidores impulsionaram os indices norte-americanos para valorizações interessantes, quebrando assim o enguiço das últimas semanas onde a incerteza sobre os próximos passos a dar pelo mercado foi dominante, isto no meio de uma earning season que apesar de ser extraordinária em termos de resultados trouxe o espectro de um possível topo no crescimento dos lucros. A falta de entusiasmo ficou clara no volume 10 % abaixo da média e com Wall Street a terminar em território misto, com o Nasdaq a ficar pelo vermelho enquanto que o Dow Jones averbou a melhor subida do dia, embora que de apenas 0,37%, muito à custa da Verizon e do sector farmacêutico depois de Trump ter sugerido um ataque aos preços elevados dos medicamentos, mas não revelando medidas agressivas contra a indústria.

No Forex nada de muito relevante a destacar para além da queda do peso Argentino para mínimos históricos devidos aos problemas com a dívida soberana local, num dia onde o U.S dólar terminou praticamente inalterado contra um cabaz de outras moedas, enquanto que o Euro valorizou para os $1.1945. Nas commodities o Crude recuou -1.1% para os $70.56 por barril após uma semana de emoções fortes com a decisão de Trump em rescindir o acordo nuclear com o Irão. Com a earning season praticamente no fim e com um crescimento de 26% nos lucros das empresas a semana que hoje se inicia não terá à partida grandes catalisadores, daí ser importante para aferir se os investidores formaram alguma tendência dos sinais contraditórios das últimas semanas.

O gráfico de hoje é do EUR/USD, o time-frame é de 3 minutos

Um bom exemplo de um padrão de duplo topo no final de uma Elliot Wave, com a divergência no stochastic (azul) a validar um negócio que teve como objectivo final do short o ponto A

Marco Silva