Date: 27 Fev 2018

A história da sessão de segunda-feira em Wall Street resume-se à continuação do movimento iniciado na sexta-feira, um tendência ascendente baseada no aliviar dos receios que ensombraram o sentimento nas últimas semanas, relativamente à possibilidade do FED acelerar o seu programa de subida dos juros. A queda das yields das obrigações soberanas norte-americanas, que atingiram os 2,83% deram o mote para o optimismo, quando os investidores aguardam pelo primeiro evento em que Jerome Powell irá falar enquanto presidente do FED, Powell que irá responder a questões de representantes de ambas as câmaras do Congresso dos EUA estará nos holofotes do mercado, as suas palavras serão cuidadosamente analisadas pelos analistas com vista a se poder aferir sobre existe ou não um desvio do movimento dos juros previsto o ano passado, e/ou quais os factores que podem levar a um cenário de quatro subidas de juros em 2018.

 

Em relação ao tema dos juros, a Goldman Sachs espera que as yields norte-americanas atinjam os 3,25% no final deste ano, mas caso esse valor seja largamente ultrapassado, para os 4,5% então o mercado accionista poderá corrigir entre 20% a 25%. Mas por enquanto o sentimento geral é de espera, com alivio à mistura, com o U.S dólar a não reagir à alteração das perspectivas que levaram a dois dias de subidas consistentes em Wall Street. O “greenback” ficou de novo praticamente inalterado, não tendo havido nenhum desvio significativo entre as suas principais parceiras de mercado. Destaque para as declarações do Governador do Banco Central do Japão, Haruhiko Kuroda, que indicou não existir necessidade para alterar à forma dos estímulos à economia, nem tão pouco uma nova análise à eficácia desses estímulos.

 

Para hoje é aconselhada alguma cautela enquanto o presidente do FED estiver a responder às questões dos deputados, visto qualquer desvio ao status quo actual poder levar a uma movimentação acentuada de valor, em especial no Forex.

 

 

O gráfico de hoje é do EUR/USD, o time-frame é Diário

 

O gráfico deste par de moedas indicia que a correcção poderá ainda não estar terminada, pelo menos até este ir testar a linha inferior do canal ascendente (azul)

 

Marco Silva