Date: 25 Out 2018

Ontem referi que não era claro se o movimento de rebound técnico ocorrido na sessão de terça-feira teria pernas para andar muito mais e os investidores foram rápidos a desfazer essa dúvida, com um dia demolidor para os Bulls que colocou o Nasdaq em território de correcção, eliminando igualmente os ganhos que os seus parceiros de Wall Street, S&P500 e Dow Jones, amealharam em 2018. O dia até não começou cinzento, especialmente no índice industrial após a Boeing ter melhorado o seu outlook indicando forte procura dos seus aviões e novos contratos de defesa, contudo tal foi manifestamente insuficiente para as outras notícias negativas que saíram, para não falar nas nuvens que já pairavam sobre o sentimento, como a questão do orçamento italiano, que ainda dará para correr muita tinta, com o primeiro ministro local a desafiar a União Europeia dizendo que não irá mudar o rumo por mais cartas que receba do organismo europeu.

Os dados do Departamento do Comércio norte-americano que indicaram uma queda para perto de mínimos de dois anos da venda de novas casas, causou um forte rombo no mercado, porque reforçou um outro dado negativo sobre o sector que saiu há uns dias, aumentando igualmente os receios de que a subida dos juros estão a travar o sector imobiliário, o que por sua vez afectou também os bancos, com as perspectivas de um menor volume de crédito hipotecário concedido. O resultado foi uma desvalorização de -3.5% no SPDR S&P Homebuilders ETF e um recuo de -2.69% nas financeiras do S&P500, ainda assim não tão vermelho carregado como a performance dos sectores de comunicações e tecnológico, que cederam quase -5% ambos, devido aos resultados decepcionantes da AT&T que empurraram os títulos da empresa para um deslize de -8.06%.

As tecnológicas estiveram pressionadas particularmente no subsector dos semicondutores, após a Texas Instruments e a STMicroelectronics terem avisado para a redução da procura no sector, o que forçou o Philadelphia Semiconductor index .SOX para a maior queda diária de quatro anos, com uma perda de -6.6%. Este comportamento de uma parte importante das tecnológicas contribuiu para que o Nasdaq tivesse averbado a maior desvalorização do dia com um recuo de -4.43%.

De novo foi evidente a procura por activos refúgio, permitindo aos três sectores defensivos do S&P500 ganhos em dia de perdas acentuadas nos restantes, retalhistas de produtos essenciais, imobiliária e utilities, estiveram sobre procura acentuada no mercado accionista, tal como o U.S dólar no Forex, que desta feita foi mesmo mais forte do que o Yen, tendo registado um ganho de 0,4% para o melhor valor do ano, enquanto que Euro e Libra inglesa perderam -0.7% ambas para os $1.1391 e $1.2898 respectivamente.

O gráfico de hoje é do Nasdaq, o time-frame é Semanal

O índice tecnológico quebrou em baixa a primeira linha (verde) de suporte que referi anteriormente, estando agora a linha azul como próxima zona de suporte

Marco Silva

A informação fornecida não constitui pesquisa de investimento. O material não foi preparado de acordo com os requisitos legais destinados a promover a independência da pesquisa de investimento e, como tal, deve ser considerado uma comunicação de marketing.

Todas as informações foram preparadas pela ActivTrades PLC (“AT”). As informações não contêm um registro dos preços da AT, nem uma oferta ou solicitação de uma negociação em qualquer instrumento financeiro. Nenhuma representação ou garantia é dada quanto à exatidão ou integridade dessas informações. Qualquer material fornecido, não tem em conta o objetivo de investimento específico e a situação financeira de qualquer pessoa que possa recebê-lo. O desempenho passado não é um indicador confiável do desempenho futuro. AT fornece um serviço somente de execução. Consequentemente, qualquer pessoa que atue na informação fornecida o faz por conta própria e risco.