Date: 01 Nov 2018

À entrada para o mês de Outubro alertei para a estatística que faz dele um mês pouco entusiasmante para os Bulls, e desta feita o mercado seguiu a “tradição” com uma correcção como há vários anos não acontecia, no Nasdaq foi mesmo o pior mês desde Novembro de 2008, registando uma desvalorização de -9.2% e o pior resultado deste Bull market, com os investidores a fustigarem principalmente os títulos que mais valorizaram no resto do ano, retirando assim risco na parte do seu portefólio mais rentável. Já para o S&P500 os Bears reservaram um deslize de -6.9% que colocou a performance do índice mais abrangente no topo das quedas de 7 anos, enquanto que o Dow Jones foi ligeiramente mais modesto no vermelho e recuou “apenas” -5.1%, amplitude que não ocorria desde Janeiro de 2016.

Outubro foi mesmo um mês muito bom para os negócios, com volume bem acima da média e a terminar com dois dias de recuperação que curiosamente mais uma vez a estatística dos últimos quase 70 anos assim o indiciava, uma vez que durante esse tempo sempre que o principal índice mundial estava a perder 8% ou mais com dois dias para fechar o mês, em 80% dos casos esses dias remanescentes foram de rebound, aliás perfeitamente exequíveis numa estratégia de cobertura de shorts, o que poderá ser um bom sinal para os Bulls para as próximas sessões. Ontem sem hesitações, como ocorreu na terça-feira, e com a preciosa ajuda das FANG´s o optimismo beneficiou igualmente dos bons dados do emprego ADP, geralmente um pré-indicador da qualidade dos non-farm payrolls e que saíram acima do esperado. Igualmente bullish os dados do Department of Labor que reportaram a existência de 7,1 milhões de postos de trabalho em aberto, um máximo histórico, isto para além de um crescimento nos rendimentos de 2,9% no último ano, ou seja ao melhor ritmo de 10 anos.

Dados esses que puxaram a moeda norte-americana para novo máximo de quase ano e meio com um ganho de 0,2% contra um cabaz de outras moedas principais, não sendo contudo tão forte como a Libra inglesa que avançou 0,4% para os $1.2761 devido a rumores de que se poderá atingir bom porto na negociação relativa ao Brexit com a U.E

O gráfico de hoje é do EUR/USD, o time-frame é de 1 hora

Tal como referi possível na análise de terça-feira o canal descendente condicionou o movimento do activo, indicando uma oportunidade de Long assim que o mesmo tocou na linha inferior do canal

Marco Silva

A informação fornecida não constitui pesquisa de investimento. O material não foi preparado de acordo com os requisitos legais destinados a promover a independência da pesquisa de investimento e, como tal, deve ser considerado uma comunicação de marketing.

Todas as informações foram preparadas pela ActivTrades PLC (“AT”). As informações não contêm um registro dos preços da AT, nem uma oferta ou solicitação de uma negociação em qualquer instrumento financeiro. Nenhuma representação ou garantia é dada quanto à exatidão ou integridade dessas informações. Qualquer material fornecido, não tem em conta o objetivo de investimento específico e a situação financeira de qualquer pessoa que possa recebê-lo. O desempenho passado não é um indicador confiável do desempenho futuro. AT fornece um serviço somente de execução. Consequentemente, qualquer pessoa que atue na informação fornecida o faz por conta própria e risco.