Date: 10 Mai 2018

Tal como referi ontem de seria provável a instabilidade dominou a sessão de terça-feira com os investidores a digerirem a decisão de Trump em rescindir o histórico acordo entre os EUA e o Irão, relativo ao programa nuclear deste segundo e que entre outros pontos permitiu um aumento da oferta de crude no mercado, com o fim das sanções a fomentar a produção do ouro negro por parte do país que detém a quarta maior reserva de crude do mundo, ou terceira se excluirmos o petróleo não convencional do Canadá e que é o terceiro maior produtor de crude da OPEC. Com o acordo alcançado por Obama o Irão tinha programado um investimento de $500 biliões na indústria petrolífera, que em conjunto com a indústria química, onde são o segundo maior produtor mundial, fazem o principal bolo de receitas do país, que para além de ligações privilegiadas com a Rússia tem igualmente interacção com alguns país europeus, o que levou a União Europeia a tentar ficar ao lado deste regresso à ruptura diplomática, até porque as trocas comerciais entre a U.E e o Irão são cerca de 100 vezes às de entre os EUA e o Irão.

França, Alemanha e Reino Unido já fizeram saber que lamentam esta decisão de Trump, que deverá reinstalar sanções num prazo de 180 dias, sanções essas que o presidente norte-americano referiu como de “highest level”. Apesar de já ser uma decisão esperada a incerta dominou e isso constatou-se no movimento errático em Wall Street, onde sem grande surpresa as energéticas foram as que mais valorizaram num dia misto. É de realçar que a ideia de Trump não é, para já de rasgar o acordo e esquecer, mas sim segundo ele renegociar um “mau acordo”, a intenção vale o que vale, o que é certo é que esta decisão poderá gerar ainda mais instabilidade na região.

No Forex o U.S dólar continuou a escalar terreno e valorizou 0,3% com as yields da divida soberana dos EUA a aproximar-se de novo dos 3%, num dia em que o CEO do JPMorgan Chase alertou para a possibilidade de uma subida até aos 4%.

O gráfico de hoje é do Nasdaq, o time-frame é de 1 hora

Mais um exemplo de como a média móvel dos 200 períodos pode ser um bom complemento de sinal (A), se for bem utilizada, nomeadamente após um período prolongado de afastamento da mesma, bem como de alguma amplitude desse afastamento

Marco Silva