Date: 25 Jun 2020

Ao fim de décadas de movimentos de Touros e de Ursos no mercado, eis que surge agora um novo termo, o mercado Kanguru, tal como foi referido recentemente na CNBC por Jonathan Stubbs, analista do Berenberg Capital Markets, para indicar um movimento onde a volatilidade é o tom dominante e a variação de sentido é frequente. Depois de uma fase em que os investidores só viram a estrada do optimismo, derivado do enorme balão de oxigénio da liquidez injectado pelo FED e pelo Governo dos EUA, recentemente a componente do estado da pandemia tem dado cartas no definir do sentimento de mercado. Na sessão de quarta-feira foi esse o caso, com o aparecimento de um número elevado de novas situações de COVID em alguns Estados norte-americanos a dar luz à possibilidade de uma segunda vaga da pandemia, que pode atirar a economia mundial para uma contracção bastante mais severa, devido a novas paragens da actividade económica ou simplesmente ao atrasar do regresso da mesma.

Flórida e Califórnia registram um número recorde de novos casos diários de COVID-19, enquanto New York, New Jersey e Connecticut obrigam a que viajantes de zonas problemáticas façam quarentena, este foi o principal dado que levou a uma deterioração do sentimento Em Wall Street, contudo há que não esquecer o tema da guerra comercial, ontem com o reaparecimento da frente EUA-Europa, após a administração de Trump ter referido a intenção de aplicar novas taxas alfandegárias em $3,1 mil milhões de produtos importados de França, Alemanha, Espanha e Reino Unido. De outra frente o pessimismo do fundo Monetário Internacional agravou igualmente a pressão vendedora que se fez sentir ontem, com perdas entre os -2,19% no NAsdaq e os -2,72% no Dow Jones, devido à previsão de uma contracção económica mundial mais severa e uma recuperação mais lenta, em relação ao que o Fundo tinha previsto há cerca de dois meses.

De realçar a fraqueza relativa das small caps, com o Russell 2000 a tombar -3.45%, num indício de que a economia da Main Street poderá estar mais exposta ao risco do que a das grandes empresas. No mercado cambial o U.S dólar amealhou 0,6%, empurrando o Euro e o Yen para deslizes de -0.5% e -0.5% respectivamente. Moeda nipónica que não revelou ter tido especial interesse por quem procura activos refúgio, não obstante o dia de vermelho carregado, desinteresse que também foi notório no Ouro, com o metal precioso a recuar -0.2% de valor para os $1,765 por onça.

O gráfico de hoje é do USD/JPY, o time-frame é Diário

Este importante par de moedas está dentro de um canal descendente que poderá condicionar o seu movimento de curto-prazo dentro das linha azuis.

Marco Silva

A informação fornecida não constitui pesquisa de investimento. O material não foi preparado de acordo com os requisitos legais destinados a promover a independência da pesquisa de investimento e, como tal, deve ser considerado uma comunicação de marketing.

Todas as informações foram preparadas pela ActivTrades (“AT”). As informações não contêm um registo dos preços da AT, nem uma oferta ou solicitação de uma transação em qualquer instrumento financeiro. Nenhuma representação ou garantia é dada quanto à exatidão ou integridade desta informação.

Qualquer material fornecido não tem em conta o objetivo de investimento específico e a situação financeira de qualquer pessoa que possa recebê-lo. O desempenho passado não é um indicador confiável de desempenho futuro. AT fornece um serviço somente de execução.

Consequentemente, qualquer pessoa que atue na informação fornecida o faz por sua conta e risco