Date: 19 Set 2019

Depois de uma das mais aguardadas reuniões do banco central norte-americano, onde os membros do board “entregaram” aos investidores quase tudo o que estes previam, o sentimento hoje em Wall Street está longe de ser optimista, não obstante uma abertura em alta que levou o S&P500 a escassos pontos de atingir um novo máximo histórico. Foi à entrada para a hora de almoço que a inversão começou a ter início com declarações de um responsável da administração de Trump sobre a possibilidade de se agravarem as tarifas impostas à China, isto no dia em que pela primeira vez nos últimos dois meses delegações de ambos os países se reúnem em Washington com vista a tentarem amenizar o clima de conflito comercial que se tem agravado nos últimos doze meses.

Ao nível dos sectores não há nada de muito relevante a destacar, variações inferiores a 1% e com um panorama quase equilibrado entre os grupos que sobem e os que descem de valor. A aparente acalmia poderá ser derivada do facto de amanhã ser dia de “quadruple witching”, onde se espera uma volatilidade e volumes elevados, sendo portanto hoje a calmaria antes da “tempestade”. No mercado cambial o U.S dólar recua 0,2%, permitindo ao Euro um ganho de 0,2%, enquanto que o Yen está um pouco mais forte, valorizando 0,5% para os 107.91, não sendo para já muito indicativo de uma possível procura extra por activos refúgio.

O gráfico de hoje é da EDP, o time-frame é Semanal

O gráfico da energética nacional aponta para a possibilidade de uma quebra em alta do canal lateral em que se encontra o preço dos títulos, portanto um gráfico a seguir com atenção

Marco Silva