Date: 19 Fev 2018

Depois de duas semanas para esquecer, os Bulls tomaram conta dos destinos de Wall Street suportando os indices norte-americanos para o melhor registo semanal de cinco anos e com seis sessões consecutivas de ganhos, embora sexta-feira o dia tivesse sido bem diferentes dos anteriores, na realidade e em termos técnicos sexta-feira o S&P500 efectuou um martelo invertido, terminando muito perto dos valores de abertura e bem longe dos máximos do dia, com o Nasdaq a averbar mesmo uma queda de -0.23%, para a pior performance do dia.  Já o Dow Jones conseguiu o melhor desempenho mas com um acréscimo de apenas 0,08% e muito por causa dos ganhos em alguns dos pesos pesados do sector da saúde, como a Pfizer, UnitedHealth ou Johnson & Johnson. Apesar das águas pouco inalteradas no final da sessão é de realçar que o movimento de correcção surgiu após as notícias sobre novas acusações relativas à interferência da Russia nas eleições presidenciais de 2016.

 

A bastante monitorizada taxa de juro das dívida soberana dos EUA a 10 anos, recuou ligeiramente para baixo dos 2.9%, enquanto que o U.S dólar acordou do marasmo do resto da semana para a sua primeira valorização em cinco dias. O “greenback” adicionou 0,5% contra um cabaz de outras moedas principais, forçando o Euro para um recuo de -0.8% nos $1.24, o que em termos técnicos se configura com um potencial duplo topo, com os máximos de inicio do mês, caso o topo de sexta-feira não seja rapidamente ultrapassado. A libra inglesa perdeu -0.6% para os $1.401 depois de uma série de cinco dias de ganhos. Nas commodites sortes distintas para o Ouro, que cedeu -0.4% para os $1,348 por onça, enquanto que o WTI crude ganhou 0.5% para os $61.62 por barril.

 

Do ponto de vista técnico e no time-frame semanal o S&P500 efectuou a semana passada um Harami, em que o corpo da barra está dentro do corpo da barra anterior e é de sentido diferente. Esta semana será pois importante pois caso seja positiva poderá ser a confirmação de que o rebound é para continuar, ou ao invés esta correcção terá ainda bastante mais espaço para percorrer.

O gráfico de hoje é do EUR/USD, o time-frame é Diário

 

Até amanhã o principal par de moedas poderá confirmar o duplo topo potencial, onde existe uma divergência no stochastic (linhas verdes)

 

Marco Silva