Date: 01 Mai 2019

Se havia dia em que Wall Street estaria destinada a fechar com perdas, ontem era um deles, após a Google ter reportados resultados abaixo das previsões, o que como referi previsível na análise de terça-feira, veio a condicionar particularmente o sector tecnológico, com o Nasdaq a registar uma perda de -0,81%, depois de ter atingido um recuo superior a -1% cerca das 11 horas locais. Contudo uma boa dose de resultados acima das expectativas de empresas industriais permitiram não só ao Dow Jones averbar o maior ganho do dia com uma subida de 0.15%, como também ao S&P500 escapar ao lastro negativo das tecnológicas, nomeadamente da Apple que também recuou, embora apenas -1.93% contra os quase -8% da Google, terminando o índice com uma valorização de 0.1%.

Curioso que a reacção violenta nos títulos da Google, que reduziram em cerca de $70 biliões a capitalização da gigante do sector das comunicações e que valeu a esse grupo do S&P500 uma perda de valor de -2.56%, tenha sido derivado de um desvio de $1 bilião nas receitas do maior motor de busca do mundo, muito por causa de uma fraca monetização na plataforma Youtube após alterações efectuadas no algoritmo da publicidade, bem como da remoção de milhões de vídeos que violavam as directivas de utilização. Pessimismo que foi anulado pelos resultados da Pfizer, Merck, General Electric e Mastercard, para além dos ganhos de 2% nos títulos da Chevron com a probabilidade da empresa não conseguir adquirir a Anadarko Petroleum, devido ao apoio de Warren Buffett na oferta feita pela rival Occidental Petroleum.

No mercado cambial o Euro beneficiou dos bons dados económicos que saíram sobre a zona Euro, com o PIB a crescer 0,4% no primeiro trimestre deste ano, acima dos 0,3% previsto e no dobro do registado no final de 2018, com realce para a subida do indicador em Itália depois de uma contracção no período anterior. A moeda única acabou por valorizar 0,3% para os $1.1216, ainda assim aquém do ganho de 0,8% que a Libra atingiu, terminando nos $1.3036.

Já depois do fecho do mercado a Apple divulgou resultados que bateram as previsões, levando os títulos da fabricante dos iPhones a subirem 5%, o que deverá condicionar positivamente o comportamento do Nasdaq na sessão de hoje, num dia de anúncio das conclusões da reunião do FED.

O gráfico de hoje é da Apple, o time-frame é Semanal

Com a valorização registada no after-hours é previsível que a empresa venha a testar hoje a linha azul que corresponde ao nível de recuperação de 76,4%, que é um valor Fibonacci.

Marco Silva