Date: 08 Mar 2018

Depois da reacção negativa logo após o anúncio da demissão de Gary Cohn, o principal conselheiro económico de Trump, os investidores adoptaram uma posição menos pessimista na sessão de ontem, mas não deixando de lado a cautela, até porque com este presidente norte-americano a incerteza domina. A notícia que saiu da Casa Branca sobre a possibilidade do Canadá e do México, dois dos principais parceiros económicos dos EUA, ficarem isentos das tarifas alfandegarias mais elevadas, aliviou ligeiramente o sentimento, mas entusiasmo foi algo que não existiu em Wall Street com apenas três sectores do S&P500 a fugirem ao vermelho e com uma valorização máxima de 0,55% nas tecnológicas. Força que foi igualmente evidente em termos de indices, com o Nasdaq a ser o único que amealhou alguns ganhos, 0.33%, sendo que o Dow Jones inverteu esse montante para a maior queda do dia.

Já depois do fecho do mercado foi conhecido que 107 membros do partido republicano, que suporta Trump, lhe escreveram uma carta a pedir que reveja a sua intenção relativa às tarifas alfandegarias. Um indício que o Presidente norte-americano não terá vida fácil para concretizar o seu plano, pelo menos não nos moldes actuais, o que poderá criar algum optimismo para a sessão de hoje. No Forex o dia também não foi para muitas mexidas, com os principais pares de moedas a variarem apenas 0,1%, sinal de que falta um catalisador para movimentos mais pronunciados, após umas semanas de oscilações bastante interessantes. Nas commodities destaque para a queda de -2% do WTI crude para os $61.37 por barril.

Para hoje há que ter atenção à informação que vai sair do BCE, que não deverá alterar a taxa de juro, mas poderá dar indícios sobre o programa de estímulos, nomeadamente sobre o seu final, que alguns analistas prevêem possa ocorrer ainda este ano.

O gráfico de hoje é do WTI, o time-frame é Diário

O preço do “ouro negro” encontra-se num canal descendente, que a ser respeitado poderá levar o valor de cada barril de WTI para perto dos $55, ou na linha inferior do canal.

Marco Silva