Análises de Mercado

Final de Agosto marca o fim de uma era e o inicio de outra

Depois de algumas semanas de ausência de factos interessantes no mercado, o final de Agosto trouxe um aperitivo da comoção que é expectável na reentré dos investidores em Setembro, assim como da recta final das eleições presidenciais norte-americanas. Com efeito estes dois últimos dias foram palco para dois eventos que terão desenvolvimentos no médio-longo prazo e que por isso estão a condicionar o sentimento de mercado, refiro-me à nova política relativa à inflação por parte do FED, conhecida ontem e ao anúncio de resignação do cargo de primeiro-ministro japonês por parte de Shinzo Abe, devido a problemas de saúde que já o tinham obrigado a afastar em 2007. Este segundo evento é o fim de uma era, a denominada Abenomics, protagonizada pelo chefe de estado japonês que mais tempo esteve no cargo e que de tudo tentou para revitalizar uma economia que teima em não dar sinais de pujança, ainda que tenha saído do longo período de estagnação que atravessou de 1991 a 2010, com maior incidência nos dez primeiros anos.

Com Shinzo Abe, o Japão teve alguns períodos de brilho económico, mas de curta duração, suportados pela política de juros muito baixos aliado a uma constante injecção de liquidez no sistema por parte do banco central local, algo que não conseguiu evitar o impacto negativo que teve a subida do imposto sobre o consumo que entrou em vigor em Outubro de 2019, uma medida que precipitou a economia japonesa para uma contracção de 6,3% no último trimestre do ano passado. A reacção dos investidores à notícia de afastamento de Abe teve o seu impacto maior no mercado accionista, com o Topix a terminar a sessão desta sexta-feira com uma perda de -0,68%, após ter estado a subir durante quase todo o dia. Já o Yen valorizou 0.5% face ao U.S dólar para os 106.06, mas derivado ao outro evento evento que referi, a nova política anunciada por Jerome Powell que ao quebrar a longa tradição de ter um tecto máximo de 2% na inflação, abriu portas a uma nova era, uma em que este indicador económico pode exceder moderadamente o anterior tecto estando agora esse nível de 2% na média de médio-longo prazo e não no limite superior.

Esta alteração tem uma consequência implícita, a provável manutenção por muito mais tempo dos juros em níveis baixos bem como uma liquidez exorbitante no sistema, isto com o objectivo de suportar a maior economia na fase de recuperação do choque da pandemia de COVID-19, e o de conseguir aumentar a inflação para níveis mais saudáveis, dado que tem estado nos últimos anos recorrentemente abaixo do desejado. A reacção do mercado a esta nova direcção da política monetária ainda está a ser digerida, contudo e apesar de uma retracção dos índices norte-americanos ontem logo depois desta ser conhecida, o S&P500 ainda conseguiu recuperar e registrar um novo máximo histórico, ao passo que o Nasdaq cedeu ligeiramente com os investidores a decidirem retirar algum risco de cima da mesa, nomeadamente nos títulos que mais subiram nas últimas semanas. No mercado cambial o panorama é hoje de fraqueza considerável no U.S dólar, que recua -0.5% dando o impulso necessário para que o EUR/USD tenha quebrado em alta os $1,19, assim como deu fôlego ao preço do Ouro, que segue a valorizar mais de 1% para os $1,958 por onça.

O gráfico de hoje é do EuroStoxx50, o time-frame é Mensal

O gráfico do activo que agrega as principais empresas europeias não deixa margem para dúvidas, o andamento dos índices norte-americanos, S&P500 por exemplo, é muito superior.

Marco Silva

A informação fornecida não constitui pesquisa de investimento. O material não foi preparado de acordo com os requisitos legais destinados a promover a independência da pesquisa de investimento e, como tal, deve ser considerado uma comunicação de marketing.
Todas as informações foram preparadas pela ActivTrades (“AT”). As informações não contêm um registro dos preços da AT, nem uma oferta ou solicitação de uma transação em qualquer instrumento financeiro. Nenhuma representação ou garantia é dada quanto à exatidão ou integridade desta informação.
Qualquer material fornecido não tem em conta o objetivo de investimento específico e a situação financeira de qualquer pessoa que possa recebê-lo. O desempenho passado não é um indicador confiável de desempenho futuro. AT fornece um serviço somente de execução.
Consequentemente, qualquer pessoa que atue na informação fornecida o faz por sua conta e risco.