Date: 02 Set 2019

Em dia de feriado nos EUA relativo ao Labor Day, as praças europeias seguem com ganhos interessantes, não obstante as nuvens negras que se vêm no horizonte. Os dados económicos das principais economias mundiais são inequívocos, a actividade manufactureira já está em contracção ou para lá caminha, com o sector dos serviços a seguir muito de perto o mesmo sentido. A guerra comercial é certamente o ponto principal do pessimismo que se faz sentir, especialmente agora que entrou em vigor mais uma ronda de tarifas alfandegárias entre os EUA e a China, que irá certamente causar uma redução no comércio global.

Contudo é preciso não esquecer que a economia norte-americana está na sua expansão mais prolongada da história, à conta de incentivos nunca antes implementados parte do banco central, não sendo pois de esperar que o ciclo económico consiga ser prolongado por muito mais tempo sem uma fase de menor fulgor, ou mesmo uma contracção. Mas para além desse tema existem outros importantes, desde logo a questão do Brexit que já afecta de sobremaneira a economia alemã e que deverá ser um peso nas restantes economias da Europa, caso o Reino Unido efective o processo sem acordo.

Risco de um Brexit “duro” que esta semana está em modo elevado devido à probabilidade de uma votação no Parlamento do Reino Unido para que tal seja inviável, intenção que já levou Boris Johnson a ameaçar os membros do seu partido de expulsão, caso votem a favor do mesmo. Incerteza que está a afectar a Libra inglesa empurrando a moeda para uma queda de -0,7% contra o U.S dólar, estando agora nos $1.2072, permitindo assim boa parte da valorização superior a 1% que se regista no Footsie.

O gráfico de hoje é do GBP/USD, o time-frame é de 5 minutos

Este par de moedas falhou em aguentar o canal descendente em que se encontrava, pelo que agora a linha inferior poderá servir como resistência à subida do preço

Marco Silva