Date: 20 Fev 2018

Com o Feriado em Wall Street referente ao dia do Presidente, o dia era expectável que fosse de volume abaixo do normal, ainda para mais porque a praça chinesa também esteve encerrada. Para ajudar ao clima de fim de semana prolongado, a ausência de notícias económico-empresariais relevantes abriram espaço a que tivesse sido uma sessão das praças europeias sem grande história. A queda de -7.5% nos títulos da Reckitt Benckiser, apesar de ter anunciado vendas acima do previsto, condicionou o sector dos produtos de consumo para casa, empurrando o grupo para uma queda de -1.36% e para a pior performance do dia. Apesar do deslize de -0.66% no Stoxx600 é preciso contextualizar, pois foi apenas a primeira desvalorização depois de quatro dias de ganhos e com muito pouco volume.

A nível global o panorama foi de uma sessão praticamente inalterada, com o MSCI world index a variar apenas -0.1%. No Forex o dia também não foi de muito movimento e o U.S dólar valorizou 0,1%, o mesmo montante que perdeu a libra inglesa e o dobro da perda de valor do Euro. Nas commodities o WTI crude esteve com forte pressão compradora, o que permitiu um avanço de 1,2% para os $62.5 por barril no preço do “ouro negro” e um dia positivo para os sectores das empresas produtoras de crude e gás natural.

Para hoje destaque para o dia com o maior montante em venda de sempre, de bilhetes do tesouro norte-americano, cerca de $151 biliões em três leilões, o que poderá colocar alguma pressão tanto no mercado accionista como no valor do “greenback”.

O gráfico de hoje é do TBond, o time-frame é Mensal

O gráfico do valor dos bilhetes do tesouro dos EUA, é indiciador de uma continuação da queda do preço, provocando de forma inversa um aumento do valor das yields associadas

Marco Silva