Date: 04 Out 2017

Sem grandes novidades de índole económica, empresarial ou politica, Wall Street seguiu ontem pelo caminho de menor resistência, que por estes dias é claramente o da valorização. A subida verificada na venda de carros nos EUA em Setembro deu um forte alento ao sector automóvel, facto que foi em grande parte devido à reposição dos veículos danificados com os furacões que se registaram, nomeadamente com o Harvey e com a Irma, que em conjunto destruíram perto de 700,000 viaturas, o que deverá permitir ventos favoráveis ao sector até Novembro. A continuação do debate sobre a reforma fiscal nos EUA mantêm igualmente os ânimos entusiasmados com um possível incentivo significativo à economia, apesar de figuras como Warren Buffett e o Presidente da BlackRock, maior gestora mundial de activos, terem criticado a redução como tal como foi proposta, uma vez que irá criar um deficit orçamental muito importante, sendo que as empresas norte-americanas não deixaram de ser competitivas com uma redução de impostos mais suave, como por exemplo para os 27% na opinião de Buffett, em vez dos 20% proposto pelos Republicanos.

No Forex o U.S dólar repousou da valorização robusta do dia anterior e andou por águas quase paradas, ao que não será alheio o facto de Janet Yellen ir discursar hoje, sem que seja claro se a FED chair irá abordar a questão da subida dos juros ou a sua possível saída do cargo. Em qualquer dos casos os investidores preferiram esperar para ver, até porque a moeda norte-americana está em máximos de dois meses e já na sexta-feira sairão os non-farm payrolls, o dado económico recorrente mais importante do mês, no que à moeda diz respeito. O Euro conseguiu aguentar os ventos menos positivos que chegam de Espanha, com um sério problema politico em mãos, ainda assim a moeda única valorizou 0,1% contra o “greenback”, para os $1.1748. Nas commodities, o Crude voltou a ceder algum terreno na sua consolidação perto do patamar dos $50 por barril, o “ouro negro” perdeu nos últimos dias mais de um terço do que tinha ganho desde o inicio de Setembro.

 

O gráfico de hoje é do LCrude, o time-frame é Diário

Parece medido a régua e esquadro, no entanto a realidade foi que o activo retrocedeu (A) mesmo, assim que atingiu a linha de tendência (azul), que tem limitado os ganhos, nos últimos dois anos.

Marco Silva