Date: 26 Jun 2017

Depois de um resto de semana negra provocada pela queda do preço do crude para valores inferiores aos $43 por barril no WTI, o sector energético recuperou ligeiramente na sexta-feira aliviando dos mínimos de mais de um ano. Na génese do ganho de 0,7%, que deu ao sector a melhor performance do dia, esteve o ganho de 0,63% no valor do barril de WTI crude para os $43.01, reduzindo assim a perda semanal para os 4%. Contudo e embora existisse espaço para um rebound técnico, há que ter em conta que boa parte da pressão positiva adveio da desvalorização de 0,3% dno valor do U.S dólar, facto que também beneficiou o Ouro, que avançou 0,6% para os $1,257 por onça.

A queda do IHS Markit Flash US Composite PMI para o mínimo de 3 meses nos 53, foi a principal causa da fraqueza da moeda norte-americana, isto porque indicou que após um primeiro trimestre de crescimento económico da maior economia mundial, bem abaixo das expectativas, a recuperação evidenciada em Maio não teve seguimento no fecho do segundo trimestre, com o U.S. Services Business Activity Index relativo a Junho a sair nos 53, o mínimo de 3 meses, o U.S. Manufacturing PMI ficou nos 52,1, que é o mínimo de 9 meses, e o U.S. Manufacturing Output Index recuou para os 52,9, igualmente o mínimo de nove meses. Este cenário menos optimista colocou ainda mais “pressão” sobre os non-farm payrolls que vão ser conhecidos daqui a cerca de duas semanas, ao que se acresce o inicio da earnings season, dois eventos que certamente dominaram o sentido dos mercados no próximo mês.

 

O gráfico de hoje é do EUR/USD, o time-frame é de 2 horas

EURUSDH226617

Mais um exemplo de como identificar locais com maior probabilidade de sucesso dos padrões, nomeadamente um duplo fundo (linhas vermelhas) em cima de uma linha de tendência (verde), seguido de um padrão de Head & Shoulders (azul)

Marco Silva