Date: 07 Set 2017

Wall Street continuou ontem a navegar por águas de volatilidade, isto porque após o dia mais pessimista em quase três semanas, os investidores recuperaram boa parte do seu entusiasmo, devido a dois tópicos que tinha referido como potenciais catalisadores de sentimento, nomeadamente os temas do tecto da dívida e da reforma fiscal, no primeiro caso e ironicamente os acontecimentos no sul dos EUA, com a zona costeira a ser sucessivamente fustigada por tempestades, ajudou a desbloquear o assunto, com os Democratas a indicarem que Trump se juntará a eles na aprovação de uma moratória de três meses no tecto da dívida, adiando assim o problema até Dezembro, “acordo” que foi feito em conjunto com um pacote de ajuda para as zonas afectadas pelos furacões.

Contudo e apesar do aparente optimismo com esta conjugação de esforços entre o presidente e a minoria no congresso para resolver o problema, o certo é que Paul Ryan, o representante dos Republicanos, em maioria, já veio dizer que a proposta era ridícula e sem possibilidade de ser implementada, o que poderá causar alguma volatilidade nos próximos dias caso a clivagem entre Trump e o partido que o apoia, quanto a este tema, seja mesmo efectiva. Com a reabertura de algumas refinarias na zona do golfo dos EUA, o crude continuou a recuperar das quedas da semana passada e ontem adicionou mais 1%, para os $49.13 por barril no WTI. Valorização que foi essencial para que o sector energético também tenha tido um dia bastante positivo, liderando mesmo os ganhos no S&P500 com um avanço de 1,64%.

No Forex o dia foi relativamente calmo, com excepção do dólar canadiano, que subiu 1,2% para o valor mais elevado dos últimos 2 anos, nos C$1.225 por U.S dólar, devido ao aumento da taxa de juro, para 1%, efectuada pelo banco central canadiano. Para hoje é aconselhada cautela nos pares onde o Euro está presente, uma vez que Mario Draghi irá falar e poderá referir o futuro do programa de estímulos, assim como indicações sobre o que pensa do fortalecimento recente da moeda única.

 

O gráfico de hoje é do EUR/USD, o time-frame é Diário

O principal par de moedas encontra-se dentro de dois canais ascendentes, um de maior prazo (vermelho), que foi quebrado em alta por duas vezes, o que costuma ser bearish, e outro de curto prazo (verde) que está prestes a ser testado na sua linha inferior

Marco Silva