Date: 25 Ago 2017

Sem grandes notícias de índole económica ou empresarial, ainda em período de férias e com menor volume, os investidores estiveram ontem claramente à defensiva e a aguardar pelas declarações de Janet Yellen e Mario Draghi, que serão efectuadas hoje na conferência de banqueiros centrais, patrocinada pelo Federal Reserve Bank of Kansas City e que teve inicio ontem em Jackson Hole. Igualmente motivador de precaução foi o tweet de Trump que culpou os representantes do seu partido no congresso, pela “trapalhada” existente com o aumento do tecto da dívida, algo que criou ainda mais o sentimento de insegurança sobre a relação entre o presidente norte-americano e a maioria que o suporta, até porque pouco depois o Republicano Paul Ryan, o House Speaker, veio afirmar que o tecto da dívida será aumentado, algo que se não ocorrer até 30 de Setembro, levará a um “encerramento” do governo pro falta de autorização legal para gastos adicionais.

No Forex e apesar da incerteza relativa ao impacto que Yellen e Draghi poderão ter hoje, o principal par de moedas recuperou parte da queda do dia anterior, confirmando assim o sentido instável que tem seguido nos últimos dias, onde nas últimas 9 sessões não existiu um seguimento do movimento do dia anterior. O EUR/USD recuou para os $1,17995 após uma queda de 0,1%, enquanto que o Yen esteve bastante mais fraco e cedeu -0,5% contra a moeda norte americana para os 109.57, anulando assim a subida do dia anterior. Nas commodities realço a atenção que merece o furacão Harvey, que deverá chegar hoje à costa do Texas e embora não se preveja impacto na produção de crude, caso ocorra um incidente que condicione negativamente uma das refinarias, tal poderia provocar uma queda do valor do crude devido à menor procura que se seguiria até ao restabelecimento da produção. Já por causa disso mesmo e devido ao fecho, por precaução de algumas refinarias, o crude recuou ontem 2% para os $47.43 por barril.
O gráfico de hoje é do Light Crude, o time-frame é Diário

O Light Crude quebrou há alguns dias a linha inferior do canal ascendente (linhas vermelhas), que vinha a reger a subida dos preços, motivo pelo qual o activo está neste momento numa fase de alguma indefinição mas com uma ligeira tendência descendente até que o mesmo canal seja de novo testado.

Marco Silva