Date: 23 Fev 2018

Tal como na quarta-feira, Wall Street encerrou ontem em tendência descendente depois de amealhar ganhos de perto de 1%, mas se no primeiro caso a correcção foi devido às minutas do FED, ontem os investidores deram a conhecer que a cautela com a perspectiva de juros mais elevados não desapareceu, como durante muitos meses se esfumavam os receios provocados por notícias prejudiciais ao mercado, fossem elas económico-empresariais ou políticas, ou seja, pelo menos para já o sentimento do mercado em geral e dos Bulls em particular alterou-se, a fase de subidas, “no matter what” terminou, ou no mínimo foi suspensa. Nos principais sectores do S&P500 foi notória uma recuperação dos grupos mais afectados pela pressão vendedora no dia anterior, como o imobiliário, que acabou por ter a melhor performance com um ganho de 1,14%, seguido das energéticas, em linha com o ganho no preço do crude, que empurrou o WTI para os $62.77 por barril após uma subida de 1,8%.

A valorização do preço do “ouro negro” ocorreu em reacção aos dados sobre o stock do activo nos EUA, que caíram inesperadamente 1,6 milhões de barris, contra as previsões de um aumento de 1,9 milhões, já a produção nos EUA manteve-se estável nos 10.27 milhões de barris por dia. No Forex o U.S dólar cedeu os ganhos amealhados na quarta-feira, permitindo ao Euro uma subida de 0,3% para os $1.2325. A performance do Yen foi ainda mais expressiva, com a moeda nipónica a valorizar 1% para os 106.701, um movimento que poderá ter algo, mas não muito, de procura por activos refúgio, visto que o seu parceiro de tendência, o Ouro, apenas adicionou 0,1% ao seu valor para os $1,333 por onça.

Na ausência de uma notícia relevante, Wall Street poderá navegar por terrenos incertos, mas perto do inalterado, pelo menos até aos non-farm payrolls da semana que vem, altura em que esse indicador poderá aumentar ou reduzir os receios dos investidores sobre um passo mais acelerado na subida dos juros.

O gráfico de hoje é do Ouro, o time-frame é Diário

O gráfico do preço do metal precioso está dentro de um canal ligeiramente descendente (azul), que tem como patamares próximos de suporte e resistência as linhas inferior e superior do mesmo.

Marco Silva