Date: 19 Jun 2017

A aquisição de uma cadeia de supermercados por $13,7 biliões seria certamente um tema de conversa interessante para o mercado, mas dificilmente teria as repercussões que teve o anúncio da aquisição da Whole Foods por parte da Amazon, um movimento que foi visto como um acontecimento extremamente significativo e que poderá marcar o inicio de uma nova era no sector dos retalhistas com lojas físicas, facto de semeou o pânico por entre o sector, levando a uma forte desvalorização dos títulos dos gigantes Kroger, Costco, Target e mesmo da Walmart, que apesar de ser a maior retalhista mundial com lojas físicas, vale menos de metade da Amazon em bolsa. Isto porque a capacidade financeira de uma empresa de $470 biliões, aliada à sua enorme competência na area da logística, know how e de disrupção de mercado, leva a que a aquisição de mais de 450 lojas físicas, em locais premium, seja visto como um passo da maior retalhista online em dominar em breve aquele que é o maior e mais rentável mercado comercial do mundo, no segmento dos produtos alimentares indispensáveis. A prazo não é difícil imaginar uma rede de Amazon-Go, sem caixas e onde tudo é automatizado, ou como afirmou Mark Cuban, conseguirá a Amazon, num mundo Uber/lyft, entregar as nossas compras de mercearia mais depressa do que se formos nós a ir adquirir à loja? o famoso bilionário diz que sim, e isso a acontecer será certamente um game changer.

Mas apesar do pessimismo no sector retalhista, Wall Street conseguiu ainda assim averbar ganhos muito ligeiros no Dow Jones e no S&P500, em grande parte devido à subida de 1,7% do sector energético, em virtude da valorização de 0,6% no WTI crude para os $44.74 por barril, após ser conhecido que o aumento do número de postos de exploração nos EUA abrandou. No Forex o U.S dólar esteve sobre alguma pressão negativa e cedeu 0,3% contra um cabaz de outras moedas principais, muito por culpa dos maus dados económicos que saíram, nomeadamente o número de casas novas construídas e o índice de confiança do consumidor, com ambos os indicadores a desiludirem. O Euro encerrou a semana nos $1,12 ao avançar 0.5% enquanto que o Yen foi mais modesto e subiu 0,1% para os 110.865, contudo há que realçar que na sessão anterior a moeda nipónica tinha perdido 1,2% face ao Dólar.

 

O gráfico de hoje é do GERTec, o time-frame é de 3 horas

GerTecSep17H3

Possibilidade de um padrão estilo de duplo fundo (linhas azuis) no índice tecnológico alemão

 

Marco Silva