Date: 10 Ago 2017

Depois da Coreia do Norte ter inflamado ainda mais a retórica contra os EUA, em resposta ao aviso de Trump, ontem foi a vez do secretário de Estado norte-americano Rex Tillerson colocar alguma água na fervura, ao indicar que não existe qualquer ameaça ou decisão iminente de escalar o conflito verbal para uma operação militar preventiva. Foi o suficiente para uma recuperação em Wall Street que por muito pouco não permitiu aos indices a fuga ao vermelho, ainda assim as perdas foram muito ligeiras e seis dos onze sectores do S&P500 terminaram com ganhos, embora de reduzida expressão. Já as empresas ligadas ao sector da defesa tiveram um dia em cheio e o Dow Jones defense index valorizou 1,6% para um novo máximo histórico.

Mas apesar do alivio no sentimento na recta final da sessão do mercado accionista, o certo é que os activos refúgio tiveram a preferência dos compradores, com o Yen, o Franco Suiço e o Ouro, o trio mágico dos safe havens a registarem valorizações significativas, 0.6% e 1% nas moedas respectivamente e 1,3% para o metal precioso, atingindo assim o seu ganho mais expressivo dos últimos 2 meses. O índice VIX, ou o barómetro do medo, acabou por ceder a maior parte do avanço de 15% que chegou a alcançar no dia e acabou por amealhar apenas + 1,37% para os 11,11. Com o mercado a negociar em múltiplos de avaliação muito elevados a pretensão para uma fuga dos investidores para as linhas laterais é reforçada, tanto mais em tempo de volume mais reduzido, fuga essa que não foi tão pronunciada devido aos bons dados económicos referentes à produtividade da economia norte-americana, que cresceu acima do esperado e ao ritmo mais elevado dos últimos 18 meses, proporcionando assim algum suporte ao U.S dólar contra as moedas fora do lote dos activo refúgio.
O gráfico de hoje é do VIX, o time-frame é Diário

Com o stochastic a sair de valores de sobre-vendido, o VIX poderá ter algum espaço extra para valorizar, pelo menos até à linha de resistência (azul), isto se o clima de confrontação verbal entre Trump e a Coreia do Norte se mantiver elevado.

Marco Silva